16 de abril de 2012

Colheita Perdida

Plantar e regar?
Faltou fé.
Agora o asfalto cobrirá tudo.
A semente sufocada.

Água fará brotar?
Muita.
Pra lavar o asfalto.
Só uma nova safra.


4 comentários:

Isaque Bressy disse...

Não fique assim, moça!
Bola para frente!
Não deixa este asfalto enrijecer!
Planta e cultiva que, com o tempo, florirá!

E, por falar nisto, ótima poesia!
Continue escrevendo ;)

Lys Fernanda disse...

A poesia precisa mesmo dessa melancolia, ao som de Caetano então, ainda melhor. ;)

srt.:Rebeca disse...

"Não fique assim, moça!
Bola para frente!"

Oxente Ike?? parece até que não é do seu conhecimento a existencia do eu-lirico!confundindo ele com a escritora, logo tu?rs
Não faca assim com seus amigos poetas...aiaiai.

Pois bem, eu acho que às vezes essa percepcão de que faltou fé pode ser um "voltar a acreditar"...

Percebendo-se qual foi a deficiecia e se foi só essa, talvez haja tempo para voltar correndo e regar...

Wellington Morais disse...

Lembre-se sempre que a fé pode ser renovada com o passar das estações...

Não deixe o asfalto se consolidar, pois um dia, após regar, um broto nasce da semente e cresce, cresce até desabrochar...

Bjs!