12 de junho de 2010

...abóbora...

Sou a madrasta de minha própria Cinderela...
Desacredito da fada madrinha...
Não me permito ir ao baile
E me desobedecendo recuso o príncipe...
Espero anciosa pela meia noite
Quero que todos me vejam virar abóbora...
Procuro o sapatinho de cristal para não deixar rastros
E quando ele pode me achar eu me escondo...
Digo não ser eu a quem procuram
Nego que posso ser a princesa do conto de fadas...
Em meio ao encantado
Sou o abismo que me separa do final feliz!









Ps.:  A meia noite se aproxima e com ela o fim de todo encanto...

7 comentários:

Wellington Morais disse...

Caramba...

Esse realismo dessa virginiana me surpreende...

Eu gosto muito de ser realista... mas tb procuro sonhar...

Mas seu ponto de vista é bom moça... =)

Bjs!

Felipe Fábio disse...

realidade paralela..
é sempre bom viajar assim na maionese.. pq de certa forma paramos pra analisar o que esta acontecendo com a nossa vida de um jeito diferente..

gostei da forma que vc criou o texto.. ta cada vez melhor..

beijooss

Lys Fernanda disse...

Surpreendente *-*
Goostei, deu realismo ao proprio conto de fada, mostra uma versao
atè mais coerente, afinal è a tua versao, ta lindo! Beijao

Isaque Ikee disse...

Uau...
Incrível!
Se me permite usar o tema, vou criar um texto baseado na mesma essência.

Amei!

...A Confessora... disse...

Obrigada a todos...xD
E pode sim viu Isaque?
Me avise quando estiver pronto!

Isaque Ikee disse...

Larissa,

Valeu!
Foi um pouco rápido, mas já fiz o poema.
Tá no link: http://verselog.blogspot.com/2010/06/fuga-de-cristal.html

Abraço

Marcos Jorge disse...

Gostei do jogo de palavras...
Quase um conto de fadas moderno...

ABraçoOo