27 de janeiro de 2010


Um poeta é o jardineiro dos céus
Planta letras, colhe estrelas
Com sua palavras ilumina as noites
Combate a escuridão alheia
Encanta, conforta, apaixona...aviva!
Mas não são eternos os jardins
Eles florecem e morrem ao fim
Contelações que se apagam
Por não ter quem as faça brilhar
São estrelas abortadas
Em um céu onde só restará saudades _________AMOR

Um comentário:

Lys Roodri gues disse...

Ola, mas que linda sua poesia querida!
Eu adorei *-*